Sobre o Autor

quarta-feira, março 02, 2016 Sidney Puterman

O Autor.

Começou a ler sózinho aos 6 anos, desconfiado de que a mãe não lia tudo o que estava dentro dos balões. Desde então não parou mais.



Após os gibis, partiu para os 17 volumes da coleção infantil Monteiro Lobato (presente encadernado do vovô José), emendou na série Clássicos da Literatura para o público infanto-juvenil (vendidos em capa dura, semanalmente nas bancas, editados pela Abril), emburacou pelo Sherlock de Conan Doyle e pelo Arsène de Maurice Leblanc, pelos contos de Trevisan e Pelegrini, pelos clichês baianos de Jorge Amado, até que, aos 13 anos, "Treblinka" lhe caiu nas mãos. A guerra e o mundo adulto chegaram de vez. Adeus, gibis. Au revoir, D'Artagnan. C'ést la vie.

Ao longo dos anos, O Autor - que é, na verdade, O Leitor - leu mais (ou menos) de acordo com a disponibilidade e as conveniências de cada época. Além das demandas do trabalho, havia a praia, o futebol e estrepolias diversas. Tudo isso tomou o tempo dele, que não era suficiente para fazer de tudo, incluindo ler. Os livros passaram alguns anos meio largados. Cuidados, mas encaixotados.

Ler, entretanto, foi sempre seu seu carrinho de rolimã. Só não era melhor que jogar bola - cá pra nós, nada é melhor que jogar bola. Os anos passaram, os filhos chegaram e os velhos livros sairiam dos caixotes. Vieram novos, vieram mais, vieram centenas, milhares. Pode parecer exagero; mas não é. Livros nunca são demais - divertidos, profundos, reveladores, sinceros, repletos de tesouros -, por isso a gente gosta de lê-los.

O Autor (ops, O Leitor) lê porque é curioso.